rural

Entre os poucos inconvenientes de uma vida campestre, figura um que já foi antes abordado:

as liberdades que os bichos tomam

Como o Discovery Channel já demonstrou, não há nada de bucólico na natureza. É cada um por si. A rapaziada além de levemente cruel é de uma promiscuidade impressionante. O bicho pega. Literalmente.

Preocupada com o efeito de toda aquela agitação ao meu redor – das mariposas às preguiças, passando pelos cavalos dos pastos alheios, que esperam a minha passagem para cobrirem suas fêmeas – socorri-me do Houaiss para conferir a abrangência do vocábulo “Zoofilia”.

E foi tranqüilizada por ver que a apreciação da arte não me inclui no ofício (já chega de pecados!), que dei-me ao desfrute de vir aqui mencionar o assunto.

Em verdade não é por nada disso que escrevo, senão porque dia desses vítima da têmpera sacana destes bichos despudorados, me veio à mente uma canção. Seria ela uma “Fuck Music”?

Segundo parâmetros de minha lavra e por mim mesma instituídos, uma fuck music se caracterizaria conforme sua inclusão em rígidos critérios tais como se os lê lá na segunda postagem deste blog, a saber: uma ambiência sexual, um ensejo.

De fato não é o caso.

Mas que tem borogodó, tem.

    Arreio de Prata

    (Alceu Valença)

    O meu cavalo dos arreios prateados
    E a namorada, muito amada, agarrada na garupa
    Me protegendo dos malefícios da vida
    E agarrada, muito amada, na garupa do cavalo

    Iê, iê… arreio de prata, uou, uou eu todo prateado
    Muita boiada, muita cerca colocada
    E as meninas proibidas de fazer amor mais cedo
    E o meu cavalo e a sua égua malhada
    Fazendo amor no terreiro da morada das meninas

    E relinchavam, pois gozavam liberdade
    E as meninas não podiam nem gozar da vaidade
    E as meninas até sonhavam com a cidade
    E com os rapazes que por ventura encontrassem
    E olhavam tanto para o meu cavalo |
    se imaginavam éguas e eu todo prateado
    e olhavam tanto tanto para meu cavalo se imaginavam éguas e eu todo prateado.

Anúncios

Sobre mistakegirl

Vaca profana por princípio e vocação... la leche buena toda em mi garganta, la mala leche para los puretas... Ver todos os artigos de mistakegirl

Uma resposta para “rural

  • Maria e João

    Fuck music eu não diria… mas Alceu é um adorável safado, disso eu tenho certeza.

    Numa epoca de profunda abstinência, quando bem jovem, eu sentia calores assistindo até o acasalamento das morsas no Ártico! Que dirá o cavalinho prateado aí…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: