Fértil

Trepavam daquele jeito frenético, que ela já conhecia. Era bonito de ver. Tentava não interferir. O sexo, como a arte, deve fluir.

Todavia, também como à arte, deve-se olhar,  e uma vez que se olhe, como não interferir?

As pernas lisas, morenas e macias entre as quais ele se movia, alavancado pelas próprias coxas – toras. Seus pelos, suas cores, a mistura que eles são. E de trás, mal se via o pau, que ela sabia tão bem o quão grosso estaria. Os  pés, delicados, rodando ritmadamente no ar. O quadril dele, glúteo, bunda, carne. Como não interferir? Como não correr dedos e língua por peles, mucosas e orifícios? Como não se orgulhar por ser parte do gozo? Sonoro, agudo.

Porém, enxarcada de beleza, fluidos e vontade, desejava. Ele, ela, e toda a sacanagem do mundo.

A outra, adivinhando o cio, tripudiou – pérfida. Esfregava-se nela e pintava sua coxa com a porra dele, que escorria, farta. No seu olhar, o desdém em conceder  a única porção que caberia a ela, e que já secava, efêmera, repuxando-lhe os pelos.

Ela, humilde, rogou: divide comigo? reparte comigo a porra do teu homem?

Veio. Sinuosa, quente, molhada, pulsante, e sentou-se sobre a boca sedenta e agradecida daquela mulher que olhava para o sexo, como quem vê um Cezanne.

E ele, coadjuvante, embevecido com a visão de si, assim, sorvido, compartilhado, pelas duas mulheres, tão suas, tão delas, esqueceu-se do gozo recém ejaculado e foi, uma vez mais, para dentro delas, para dentro dele, que ainda jorrava.

Sobre mistakegirl

Vaca profana por princípio e vocação... la leche buena toda em mi garganta, la mala leche para los puretas... Ver todos os artigos de mistakegirl

12 respostas para “Fértil

  • Mr Right for a Mistake Girl

    Voce devia cobra para olhar as pessoas.

  • Miller

    Se eu fosse capaz de filmar o que passou na minha cabeça daria um belo filme…

    • Miller

      Na verdade… seria interessante ver o filme da sua cabeça….

      • mistakegirl

        Na verdade mesmo, acho que fiquei mais curiosa com o seu filme. O meu eu já conheço. Diz aí.

        • Miller

          É ai que mora a graça, vc curiosa daí e eu de cá.
          Filme tem cheiro? Se tivesse este exalaria um odor carregado de tesão, tensão e sussurros.
          Teria o cheiro da sofreguidão de quem observa e os sons de gemidos meio abafados.
          Teria gosto de corpo quente, gosto de um prazer fértil, febril.

          “(…)ao som sufocado de suspiros roucos,
          agudos num sufoco quente.
          corpo sob corpo,
          mãos, dedos e dentes
          gosto do aperto
          e do cheiro envolvente do desejo.”

          Agora vou-me embora, pq já falei demais e preciso ouvir lovage, 3 na massa, ou qq outra coisa que me deixe, ainda mais, com vontade de trepar a noite inteira

          • mistakegirl

            Rapaz, que coisa esse comentário, hein.
            Bom demais quando aparece um doido e embarca na nossa viagem.
            Nunca pensaria em Lovage como algo que me fizesse querer trepar a noite inteira. E jamais tinha ouvido falar em 3 na massa…

  • Maria

    Cama de casal
    Luz bem baixinha pra ver
    Gemidos de dor e alegria
    Sair de si por três minutos
    Isso é amor
    Amor quente

    • mistakegirl

      Maria, deixo Bandeira (o que é muito natural, vindo de mim, notoria bandeirosa) falar, em seu Poema só para Jayme Ovalle:

      Quando hoje acordei, ainda fazia escuro
      (Embora a manhã já estivesse avançada).
      Chovia.
      Chovia uma chuva triste de resignação
      Como contraste e consolo ao calor tempestuoso da noite.
      Então me levantei,
      Bebi o café que eu mesmo preparei,
      Depois deitei novamente, acendi um cigarro e fiquei pensando…
      – Humildemente pensando na vida e nas mulheres que amei.

  • T.A.D.

    Todos aqui, pelo jeito, foram entorpecido por suas palavras e tiveram a alucinação da visão do que liam…
    E, como já afirmaram alguns, se você visse o filme que passou pela minha cabeça, veria um close no cuzinho dela sendo focado pelo o zoom-in em extreme slow motion enquanto você narrava: “Como não correr dedos e língua por peles, mucosas e orifícios?”.

    É… Não sei quanto aos demais, mas sua produção cinematográfica-gráfica ficou grafada em meio a minhas lembrança. Show.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: