les uns les autres

 

Só esqueci de dizer que quero.

E que é de mim não saber dizer.

A argúcia que me abunda nos versos quebrados que te faço – Incakowski –  não me acompanha nos olhos com que te vejo.

Quererás?

E se queres, como é possível?

Eu sou eu só. E um punhado de enganos. Um pote até aqui de mágoa.

Toma os que são meus.

E um tanto da minha alma.

Quererás?

Que era então o pano que não lhe cobria a carne?

Com o que então estavas lá, a paciência chinesa como tua bisavó,

pés pequenos, em azul cobalto.

Tudo de teu, é bonito. As xícaras, os bules, os horizontes, as rosas.

E ele, oblíquo. Teu, conquanto, lindo.

 

E eu sou só eu, só eu, só eu, só.

 

 

Sobre mistakegirl

Vaca profana por princípio e vocação... la leche buena toda em mi garganta, la mala leche para los puretas... Ver todos os artigos de mistakegirl

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: