Nihil

 

O problema do sexo, é tudo o que vem junto. Cansa mais que a trepada, em si.

Tem gente que faz loucuras. Tem gente que até casa.

Supervalorizada, essa parada.

E a depilação?  que tá pela hora da morte… sei não.

Ando pensando em comprar um chiuaua. Vou chamá-lo de Onofre. Soa bem.

Quase posso me escutar gritando pela casa Onofre, Onoooofre (a mão pousada na testa, Onoooooofre!)…. será preciso gritar muito para achar um chiuaua por aí. Convém um nome cuja sonoridade satisfaça.

Ando pensando em estudar o uso da hiperbole nos discursos de Fidel Castro.

Haja o que houver, não desodorize seu corpo e nem escamoteie seu cheiro. Cheire a você. Deixa que eu te cheire.

Ando pensando em me tranformar em líquen.

Adoro a palavra “líquen”. Líquen. Musgo. Aniquilar.

Flamboyant.

Palavras são tão bonitas.

O problema com o sexo é a porra toda que não serve pra nada.

Bom era se a gente se ativesse ao cerne da questão.

Odeio a palavra “crosta”. Pior, só “asco”.

Odeio quando eu não sei de onde vem uma palavra e não sei como se fala. Antúrio é o ignorante tentando falar antúlio? E croton? E Creuza? E faixo, o tal que se deve sossegar? E as coisas que eu evito escrever porque não sei como se escreve? Agora não me lembro de nenhuma.

É assombroso pensar nas coisas que passam pela vida só porque não nos lembramos delas nos momentos apropriados.

Cada coisa de que não me lembrei é uma janela para outra dimensão. E eu não fui convidada.

Para onde vão as meadas cujos fios perdemos? Preocupo-me muito em saber para onde é que vão as coisas que iam sendo e não foram. Fazem-me imensa pena.

É triste que ele tenha me ensinado que os nódulos nas árvores urbanas são degenerações grotescas. Eu gostava de me sentar sob o jambeiro do Palácio do Catete.

Nunca mais Glaziou. Nunca mais drink no dance.

Isso tudo é quase tão cansativo quanto as coisas de que o sexo se faz acompanhar.

Jamais pude suportar menta.

Sinto-me melhor se me abano com um leque. Onofre. Onooooofre….

O que não se faz por uma trepada.

 

 

Sobre mistakegirl

Vaca profana por princípio e vocação... la leche buena toda em mi garganta, la mala leche para los puretas... Ver todos os artigos de mistakegirl

6 respostas para “Nihil

  • Miller

    Continua confessional?!
    É… o que não se faz por uma trepada…
    Ou até, o que não se atura (e que aturar não faça parte do conjunto de palavras odiadas)

  • Lemenópe

    tertúlia e ostracismo.
    abdômen, abdômem, abdomen ???!? como se escreve essa?

  • anônimo

    hoje sonhei com dois polvos vermelhos e imensos que trepavam (não era acasalamento não, era trepada) na calçada, durante um desfile de carnaval fora de época e lugar. trepavam tanto que eram engolidos pela casa em frente, abandonada. só eu assistia, ninguém via aquilo. lindo, violento, apaixonado. lembrei disso quando li “líquen” e depois “flamboyant”.

  • mistakegirl

    Miller, passou a fase confessional, se é que um blog pode ser algo além de…. confessional!

    Lemenope, tertúlia é lindo mesmo… e me lembra uma das primeiras palavras que caiu nas minhas graças, eu tinha uns 8 anos: pecúlio. Eu brincava de panelinhas e minha mãe perguntava o que eu estava fazendo e eu sempre estava fazendo pecúlio. Isso sim é confessional…

    Anônimo, ai, anônimo… polvo… muitos braços ao redor da gente… eh coisa bem boa… tanto quanto uma palavrinha minha lembrar a você do sonho seu.

    Trods… as coisas que passam na cabeça dessa pessoa…. você nem queira saber.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: