Arquivo do mês: abril 2013

Recall

 

Achei conveniente vir aqui para esclarecer ao preocupado leitor que o “autista” em questão na postagem anterior estava perfeitamente ciente de seus atos,  tendo se encaminhado sozinho ao local de abate, ali assediando o meu pobre amigo, que só descobriu a condição peculiar do moço, quando foi avisado dela por um solícito barman (cada vez gosto mais dessa categoria). Meu amigo apenas estranhou o silêncio insistente do rapaz. Mas o resto – garante – era bem normal. E  quem viu,  jura que todos pareciam deveras satisfeitos.

Portanto, ao contrário de ser politicamente incorreta, sou um bastião na luta pelos direitos humanos (toma essa, Marcos Feliciano) e acabo de lançar a campanha: Faça um autista feliz!

Sem mais


Rain Man

 

Não há sofrimento que resista a um amigo gay.

Você está lá, compungida na sua dor de milênios, sofrendo, se descabelando. Para até de escrever, pra poder sofrer com mais propriedade.

Mas aí, chega o seu amigo gay. Chega no meio da noite, sorrateiro e saltitante como lhe é característico, e ainda da porta, declara:

 

– Hoje eu comi um autista!!!!

 

Aí eu pergunto: dá pra fazer a dilacerada?

 

p.s: ele, aqui ao lado, às gargalhadas, implora ao gentil leitor que não o denuncie à Pestalozzi.