Arquivo da categoria: Acima e avante

apesar, contudo, todavia, mas, porém

 

 

Meu pai –  homem de considerável sabedoria – diz que a vida vale a pena de ser vivida não por outra coisa, senão pela ínfima possibilidade de uma paixão.

Tendo eu sido feita desta massa de busca pelo miolo das gentes e coisas, me é difícil manter a fleuma, quando meu fígado se encontra em permanente autofagia, e me falham pulsações, os mais breves vislumbres de meus objetos de desejo.

Nenhum toque me passa, de fato, despercebido. Um roçar de braços. É como sentir na água perfumada de um bom mixólogo, hibisco nas laterais da língua, gengibre e pimenta no centro, e no fim, o travo terroso da beterraba. Sinto cada coisa e me arrepio, com a água e o roçar. Olhos fechados, sabores me invadem, e cheiros, e sei de cada um, um tanto, e expropio-os de suas origens insiginificantes – pois que é o sabor que lhe sentem pela vida, que lhes significa a existência, distraído ouvinte, saiba.

Um brinde à minha língua curiosa e meticulosa.

Não estou em posição de requerer que a mim me saibam o gosto, que a mim me queiram saber. Mas como disse Rita Lee, e eu aqui já repeti há bem pouco tempo: enquanto estou viva e cheia de graça, talvez ainda faça um monte de gente feliz. Que no fim, é o que diz meu pai – sábio: a vida vale não por outra coisa que não a ínfima possibilidade de uma paixão.

E é a crença no ínfimo – herança pela qual sou tão grata – que me faz viver com gosto.

Pois é de gosto e sabor que se trata viver.

E é por isso que  agora eu vou é cuidar mais de mim.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Endosso

 

Alguém, em algum lugar da vasta federação, procurou algo no grande oráculo google.

O grande oráculo, muito sabido, encaminhou a pessoa para este blog.

Por causa disso, eu, olhando as estatísticas, identifiquei que este  post, já antigo, foi lido recentemente.

E fui lá ver do que se tratava. E que interessante!

Tenho a dizer que:

Sim, demorou muito a passar. Tanto, que lá se vão quase dois anos, e de fato ainda não passou.

Mas nem só de tristeza se vive, felizmente, e é com muito gosto que constato, assim, relendo a mim mesma e às minhas ingênuas aspirações, que, sabe as tais atitudes não tão simples? Tomei-as.

Meu caminho é feito de abismos. A cada passo me jogo no nada. Sem visão ou perspectiva. Vivo num quadro de Escher. E tão assombroso como ali, surge sob meus pés sólido piso, dobra do tempo, do espaço, misericórdia.

E se estou triste – e estou – estou também orgulhosa. E grata.

Falta só resolver a parte onde os corpos se entendem, pele quente, corpo sólido e  as outras baboseiras mais que escrevi.

Porque concordo comigo: a mágoa inviabiliza o sexo. A tristeza não.

Mas eu chego lá.

 

(E há quem ache que sabe de mim.)

 

 


 

Mas enquanto estou viva e cheia de graça

Talvez ainda faça

Um monte de gente feliz.

 

(Rita Lee)


 

 

A arte de deixar algum lugar

Quando não se tem pra onde ir.

Edu Lobo e Chico Buarque, Na carreira


Ensinamento

 

Enquanto me sacode toda a angustia do mundo, eles dormem.

Em algum lugar, abraçados, eles dormem.

Certos de seu amor, fundidos em carne e gozo, eles dormem.

Com seu carro vistoriado, e sem tocar no cheque especial, dormem.

A benção e o atrevimento de dormir.

Desacredito no azar da minha sina

Tico tico de rapina

Ninguém leva o meu fubá.

Edu Lobo, Lero lero


Literal

dor

s.f. Sofrimento físico ou moral; aflição; mágoa; dó.

Sinônimos de Dor

compaixão, condolência e pesar 

Definição de Dor

Classe gramatical de dor: Substantivo feminino
Separação das sílabas de dor: dor
Plural de dor: dores

Frases com a palavra dor

Todo mundo é capaz de dominar uma dor, exceto quem a sente.
— William Shakespeare

Das poucas coisas que sei…

 

1. Eu não mereço um beijo partido;

2. Eu não gosto de quem me arruina em pedaços.

 

Não devo esquecer nunca das poucas coisas que sei. Razão pela qual registro-as, devidamente.

 

 

 


Caros Leitores

 

Preciso ser gentil com a parca porém valorosa audiência e dizer que:

NÃO! EU NÃO VOU LER 50 TONS DE CINZA!

Folheei na Livraria…. mas não rolou não!

Assim, vamos confiar nas opiniões abalizadas dos coleguinhas e na de papai e deixar essa miséria pra lá, que a vida é curta e os livros são infinitos, como diz um amigo de queridância demasiada.

Mas, se alguém quer dica de livrinho, o hors concours pra mim, como é notório, é o Opus Pistorum do Henry Miller. Questão fechada. Há pelo menos umas 460 siriricas guardadas naquelas páginas.

Mas aviso que não é fácil arranjar o livrinho não…. eu tenho, eu tenho! Mas não dou, não vendo e não empresto!


 

– Bom dia!

– Bom dia. Quero você. Agora. Vem aqui.

 

(É preciso sempre tomar muito cuidado com o que se deseja, estou assustadoramente próxima daquele Gozo Cocoon!)

 

 


Porque não caibo em mim,