Arquivo da categoria:

Auto-sustentável

 

Preocupante mesmo é o gasto de pilha.

 

 

 

 


À Point

Atala

 

Quero crer que aquilo seja um snorkel. Oremos.

 


 

Um amigo ouvinte, dos bão, enriqueceu muito a cultura da escriba, e divido com os demais:

“sossegar o facho vem de apagar ou diminuir a intensidade do facho de luz, significando que a outra parte deve se acalmar um pouco”

Uma graça, de fato. Espero, em retribuição, dar-lhe tantas risadas como as que ele me reputa…

Mas hein, já que eu vim aqui, deixa eu dizer um negócio:

Fodas e sonâmbulos, não devem ser interrompidos. A pessoa até morre. Credo.

 

Sabe que o riso dela se infiltra em mim?

 

 

 

 


otimização

 

Acho excelente a pessoa que sabe aproveitar seu tempo.

Fazer valer sua presença no mundo,  produzir, fazer a diferença. Encontrar na terra um sentido de utilidade. E ser parte da engrenagem enorme que move as gentes e as coisas.

É por isso que não posso resistir a uma mulher que gasta todo o horário livre que tem pela manhã e se atrasa para o trabalho, dedicando-se à salutar e fundamental prática da siririca.

Só lamento que eu não estivesse lá.

 


Ilustrando

Eu mencionei ODAXELAGNIA, uns posts atrás.

A você, que se perguntou que porra é essa, vai a livre tradução:

Manjou?

Conselho da vítima: camisa de força no/a sujeito/a.

Mas primeiro dá muiiiito pra ele, amiga.


numa forma de mulher

 

Pô!

Eu ia pagar aquele peitinho que eu prometi.

Mas aí a moça do blog ao lado, como é hábito dela, tripudiou.

Sacanagem. Sacanagem.

Como competir?

Vou me recolher às minhas divagações… e me ater à exibição despudorada dos tons de cinza do meu cérebro.

Tsc.

 


Mas hein,

Pra você aí que sai de férias imbuído das mais sinceras intenções de se desintoxicar – até porque não parece prudente levar um baseado no avião –  e daí cola com o único maconheiro num raio de 200 quilômetros, e volta pra casa com altas dicas sobre transporte, plantio, rega e consumo nível avançado da mardita diamba,  vai uma frase recém-lida nos Monólogos da Marijuana:

Parar de fumar maconha é fácil. Difícil é arranjar uma razão pra isso.”

E já que estamos no assunto, e só porque o assunto, em minha humilde concepção, tem tudo a ver com erotismo, me permitirei expandi-lo.

Li por aí, após dar uma olhadinha nas leis recém aprovadas – a fim de ajudar de modo mais consistente os amigos na delicada posição de ter de transportar seu fino no avião – que usuário de maconha vai deixar de ser tratado como criminoso, fora da lei, para ser tratado como doente… ao invés de “Vigiar e Punir” agora o lance é “Diagnosticar e Curar”…

E dizia também que “Sinceramente, se fosse eles, eu preferia ser tratado semanticamente como fora da lei”… Apesar de eu não ser besta pra tirar onda de herói

Evoé, Foucault…

E gira a Roda.

Dedicado ao supracitado amigo…


Sexy Hot perde….

 

Ulha! Acabo de me dar conta!!! Quantas figuras no meu blógui!!!

Conquistarei novo público? Velejarei por mares nunca dantes navegados?

Lograrei falar às massas? Cairei no gosto popular? Serei a eleita do mainstream?

Será? Será? Será?

Tô pensando até em pagar peitinho…. aguardem!

 

 


É mais forte que eu!!!

Eu não dava pra esse cara:

 

 

Tá bom, é mentira. Dava sim.

Mas dava muito mais feliz pra esse aqui:

 


Eu queria namorar o Khal Drogo.

E dar beijinho de esquimó.